Portal do Governo Brasileiro

 


Link acesso a Informação Link Facebook Link Instagram  Link Twiter

Alunos da especialização em Educação Intercultural realizam plantio de árvore símbolo da cultura quilombola

No dia 07 de junho os alunos da turma de Especialização em Educação Intercultural: Indígenas e quilombolas, acompanhados de servidores do IF Sertão-PE campus Floresta, vivenciaram um momento de grande significado cultural, o plantio de uma árvore de Baobá. Para os povos quilombolas o Baobá traduz-se como símbolo fundamental das culturas africanas tradicionais, e está presente em diversas histórias e crenças. 

 


Alunos da Especialização em Educação Intercultural acompanhados da Diretora do campus Floresta para o plantio do Baobá

A árvore Baobá desenvolve-se até alcançar um grande porte e é considerada como árvore que tem o tronco com maior diâmetro no mundo, algumas espécies no mundo são tão grande que precisam de até 100 pessoas para abraçar um tronco. O Baobá pode viver até 6 mil anos e sua semente pode demorar até 10 anos para germinar, e assim representam em diversas culturas toda a sabedoria e história de um povo. 

De acordo com o professor de língua portuguesa do campus Floresta, José Aldo Ribeiro, pesquisador de literaturas africanas de língua portuguesa, a árvore Baobá é conhecida por diferentes nomes em diferentes países do continente africano, sendo a plantação desta no campus Floresta uma excelente iniciativa, “o baobá, também conhecido como embondeiro ou imbondeiro na Angola e Moçambique, e como Micondó, em São Tomé e Príncipe, é uma árvore com significado muito especial”, afirmou Ribeiro.

Uma das lendas do Baobá ligam a árvore diretamente ao período escravocrata no Brasil, e conta que os escravizados africanos eram obrigados a, antes de deixar sua terra de origem, dar dez voltas ao redor de um Baobá, com o significado de depositarem nele tudo o que não poderiam trazer para o cativeiro no Brasil, como suas identidades, crenças, território, tradições e essência.  


Agora o campus Floresta conta com dois símbolos da presença indígena e quilombola na instituição

No campus Floresta, além dos alunos da especialização, uma parte significativa do corpo discente é composto de indígenas e quilombolas, assim, para o professor João Luis da Silva, “o Baobá Africano é o símbolo dos quilombolas no Brasil, e agora em nosso campus temos um totem com as etnias indígenas, e o Baobá, símbolo dos quilombolas”, comentou o docente.

Os visitantes do campus Floresta podem apreciar a árvore Baobá nas proximidades da quadra poliesportiva, e saber os nomes dos povos indígenas de Pernambuco no totem localizado na entrada do prédio do campus.

Campus Floresta

 

  • Rua Projetada, S/N, Caetano II - N4
    CEP: 56400-000 | Floresta/PE - Brasil
  • cf.comunicacao@ifsertao-pe.edu.br
  • (87) 3877-2825 / (87) 3877-1104