Portal do Governo Brasileiro

 


Link acesso a Informação Link Facebook Link Instagram  Link Twiter

Produção e beneficiamento de peixes nativos do São Francisco são temas da abertura do IV Workshop de Aquicultura e Pesca

Debater temáticas relacionadas ao rio São Francisco, dando ênfase ao potencial pesqueiro e piscícola da região do Vale do São Francisco. Este é o objetivo do IV Workshop de Aquicultura e Pesca, que teve início nesta quinta-feira (3), no campus Petrolina Zona Rural do IF Sertão-PE.

 Cerimônia de abertura contou com as presenças da reitora do IF Sertão-PE, Leopoldina Veras, da diretora geral do campus Petrolina Zona Rural, Jane Perez e a da presidente da comissão organizadora do evento, Elizângela Souza 

A abertura do evento contou com as presenças da reitora do IF Sertão-PE, Leopoldina Veras, da diretora geral do campus, Jane Perez, de equipe do Centro de Manejo de Fauna da Caatinga (Cemafauna), além de servidores e estudantes. 

O biólogo Augusto Bentinho deu início à programação de palestras

O cultivo de peixes nativos do rio São Francisco foi o tema da palestra que abriu o Workshop, ministrada pelo biólogo da Cemafauna, Augusto Luís Bentinho Silva. O biólogo falou das principais espécies nativas cultiváveis, como surubim, pacamã, cari, curimatã, bem como prós e contras da produção de peixes nativos. “Podemos apontar como vantagens o fato de as espécies serem adaptadas ao clima e outras condições ambientais e a aceitabilidade do mercado consumidor. Já como desvantagens temos a necessidade de otimização da fertilização assistida e o alto custo de produção de espécies migradoras obrigatórias, como o dourado e o matrinxã”, explicou.

O pesquisador Bruno Dourado abordou o monitoramento da ictiofauna ao logo do projeto de Integração do São Francisco

O assunto discutido em seguida foi o monitoramento da ictiofauna ao longo do projeto de Integração do São Francisco, apresentado pelo pesquisador do Cemafauna, Bruno Dourado. O pesquisador explicou métodos de monitoramento e apresentou objetivos e resultados do trabalho realizado, que já soma 193 espécimes e 116 espécies de peixes nas registradas nas bacias hidrográficas afetadas pela transposição. “Entre nossos objetivos está o de conhecer a região antes e depois da integração, para mensurar o impacto, as consequências e adotar o manejo correto para evitar problemas futuros”, disse.

Tecnologia de pescado para produtos artesanais foi o assunto debatido pelo professor Anderson Miranda

O evento foi encerrado com mais duas palestras, que abordaram a tecnologia de pescado para produtos artesanais, as possibilidades de beneficiamento e a realidade do setor na região, ministrada pelo professor Anderson Miranda; e a produção de surubim no Vale do São Francisco, apresentada pela pesquisadora da Embrapa, Daniela Campeche.

A pesquisadora da Embrapa, Daniela Campeche, encerrou a programação do dia abordando a produção de surubim no Vale do São Francisco

O professor de Biologia da Escola Nossa Senhora Aparecida, Gilmar Nascimento, fez questão de estar presente e trazer seus alunos ao evento. “Nós enxergamos o IF Sertão-PE como uma grande instituição que leva conhecimento para região e fizemos questão de trazer os estudantes para o evento, para que eles conheçam mais sobre o tema e que possam escolher uma profissão próxima deles”, considerou. 

Primeiro dia do evento foi concorrido, auditório lotado e muitas presenças especiais

Para o mestrando em Ciência Animal da Univasf, Antônio Ramires Lyra, o evento é de grande importância, por fomentar o debate de produções que estão contextualizadas na região. “O Workshop só tem a agregar em conhecimento em todas as esferas da comunidade. As palestras foram muito proveitosas”, disse. 

O IV Workshop de Aquicultura e Pesca segue nesta sexta-feira (4) durante todo o dia. Clique aqui para conferir a programação completa.

Campus Petrolina Zona Rural

 

  • PE 647, Km 22, PISNC N - 4, Zona Rural, Cx. Postal 277
    CEP 56.302-970
    Petrolina-PE
  • cpzr.comunicacao@ifsertao-pe.edu.br
  • (87) 2101-8050